* trechos de livros que andam por aí (xviii)


A Aranha do meu destino

A ARANHA do meu destino
Faz teias de eu não pensar.
Não soube o que era em menino,
Sou adulto sem o achar.
É que a teia, de espalhada
Apanhou-me o querer ir…
Sou uma vida baloiçada
Na consciência de existir.
A aranha da minha sorte
Faz teia de muro a muro…
Sou presa do meu suporte.

(Fernando Pessoa, in Poesias inéditas)

Um link para TODA a poesia do Pessoa, aqui, de presente.

* trechos de livros que andam por aí (xvii)

“Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosas velas amarelas romanas explodindo como aranhas através das estrelas.”

(Jack Kerouac, in On the Road)