Saúde Emocional
Como Controlar a Raiva: 5 Passos Práticos!

Como Controlar a Raiva: 5 Passos Práticos!

Vivemos dias estressados e ansiosos, e muitas vezes se torna difícil saber como controlar a raiva, como ser mais paciente, como ter mais empatia e conseguir dialogar melhor.

Ser mais calmo e tolerante é uma habilidade que se desenvolve com treino.

No entanto, saber como controlar a raiva não significa que você não possa sentir raiva.

Tendemos a considerar algumas emoções como sendo ruins (a raiva e a tristeza são duas delas). No entanto, todas as emoções existem por um motivo, e são inclusive mecanismos de proteção.

Logo, sentir raiva não é ruim. O problema é a frequência com que isso acontece, e como você reage quando a raiva aparece.

Vamos ver algumas formas práticas para saber como controlar a raiva e ser uma pessoa mais tranquila.

 

Como Controlar a Raiva e ser mais Paciente?


 

Segue abaixo algumas recomendações que são efetivas e fáceis de serem aplicadas, para te ajudar a lidar com o sentimento da raiva, aprendendo a controlá-la e se tornando uma pessoa mais tranquila e menos explosiva.

Você pode (na verdade, deve) implementar mais de uma dessas opções.

Lembrando: Não é sobre sufocar a raiva ou fugir dela. É saudável sentir raiva. O que você deve controlar é a intensidade e frequência com que a sente, bem como a forma com que expressa isso.

 

como-controlar-a-raiva-

 

1. Identifique a origem do sentimento


 

É normal as pessoas dizerem: “Ele ficou com raiva do nada”.

Essa expressão “do nada” é bastante equivocada. Sentimentos não surgem do nada, sempre há um motivo (aparente ou não).

Nós não percebemos com facilidade porque vivemos no modo automático. Algo acontece, e nós apenas reagimos, de forma instintiva – e quase sempre primitiva.

O resultado, obviamente, é o total descontrole, provocando explosões de raiva que são muito desconfortáveis.

Logo, aprenda a perceber quando está começando a ficar chateado, não apenas no ápice do sentimento. A raiva costuma ser consequência de uma situação, um pensamento, algo que você viu ou ouviu.

Se prestar atenção ao seu corpo, verá que ele te dá indícios de que a raiva está surgindo.

Você estava bem, e de repente não está mais. Nesse momento, ao invés de continuar o ciclo da autossabotagem e deixar a raiva te dominar, você precisa identificar essa sensação e retomar o controle.

Exemplo: “Opa, marquei encontro com Fulano e ele está 20 minutos atrasado. Vejo que estou começando a me sentir agitada e ansiosa… O que posso fazer para me acalmar agora? Mesmo chateada eu preciso antes deixar ele se explicar primeiro. Explodir não é a melhor forma de resolver”.

 

2. Encontre uma válvula de escape


 

Uma vez que você aprende a identificar a raiva, é importante ter estratégias para lidar com ela, antes de perder o controle.

Ter uma válvula de escape pode ser a peça que te falta.

Para cada pessoa essa válvula é diferente. Então faça uma lista de coisas que te deixam relaxada, que te ajudam a se controlar e que distraem a sua atenção do que está causando o mau humor.

Exemplos:

 

  • Comprar um saco de box;
  • Dar uma caminhada ou corrida;
  • Ver um vídeo de comédia;
  • Ouvir uma playlist de músicas animadas;
  • Desabafar com uma amiga;
  • Comer um chocolate;
  • Se exercitar;
  • Pintar ou escrever.

 

Encontre a válvula que funcionará para você, e sempre que perceber que está começando a ficar com raiva, reconheça o sentimento, diga a si mesma que vai ficar tudo bem, e busque a sua válvula de escape até se sentir melhor.

Nem sempre podemos evitar que o sentimento surja, mas sempre podemos controlar o que faremos com ele. Treine isso.

 

3. Use a técnica da respiração


 

Conforme falamos anteriormente, a raiva surge em uma crescente.

Quando você aprende a identificar os indícios de que ela está começando a se manifestar, é esse o momento de interromper o ciclo de crescimento.

Nesse ponto, a técnica da respiração é muito efetiva.

Consiste em tirar a sua atenção daquilo que está te causando raiva, te deixando estressada, e, durante alguns minutos, focar apenas na sua respiração e mais nada.

Pare o que estiver fazendo, feche os olhos, e respire fundo.

Inspire contando até cinco, puxando o ar lentamente. Depois expire contando até cinco, soltando o ar lentamente. Sinta o ar entrar e sair de seus pulmões, observe os cheiros que sente enquanto respira.

Faça isso algumas vezes, colocando toda a sua atenção na respiração. Sinta seus pulmões enchendo de ar, seu abdome inflando e esvaziando, calmamente.

Verá que em poucos minutos seu emocional já estará equilibrado novamente.

 

como-controlar-a-raiva-central-das-orações-1

 

4. Use a técnica do mindfulness


 

Mindfulness significa “atenção plena”. É uma espécie de meditação com foco no agora, no momento presente.

Assim como a técnica da respiração, o mindfulness também consiste em colocar sua atenção, estrategicamente, em alguma coisa, concentrando-se e desligando-se do gatilho que te causou raiva.

Há várias formas de aplicar essa técnica.

Alguns exemplos:

 

  • Olhe ao seu redor e comece a encontrar e contar todos os objetos na cor vermelha, depois azul, depois verde, etc.
  • Feche os olhos e coloque toda a sua atenção nos sons que consegue ouvir ao seu redor, incluindo barulhos.
  • Feche os olhos e comece a mexer cada parte do seu corpo, dos pés à cabeça. Vá mexendo os dedos, sentindo a sensação, depois os pés, sentindo o toque no chão, e faça isso por todo o seu corpo, até mesmo se alongando.
  • Encontre um objeto e concentre-se em analisar cada detalhe dele. As cores, a textura, o peso… Olhe como se nunca o tivesse observado antes. Seja curioso(a). Faça isso com vários objetos.

 

Você perceberá que, ao tirar seu foco da emoção que te causa mal estar, e colocá-lo em algo neutro, que atrairá sua atenção, você automaticamente comaçará a se sentir bem.

Mas realmente concentre-se, entregue-se ao exercício e faça por alguns minutos.

 

5. Trabalhe o autoconhecimento


 

Autoconhecimento nada mais é do que (como o nome sugere) conhecer profundamente a si mesmo.

Você, melhor do que ninguém, sabe o que te tira do sério. E apenas você tem o poder de controlar como se sente.

Logo, é importante ter em mente quais são os gatilhos que te causam raiva.

Gatilho (nesse caso) é tudo aquilo que, ao ter contato, vai te deixar com raiva ou te causar mal estar. Sabendo disso você consegue evitar ou controlar o modo como vai reagir, pois já sabe que aquilo vai te deixar mal.

Ou seja, quando puder evitar os gatilhos, faça. Quando não puder, mantenha-se consciente para controlar a raiva.

Exemplos:

 

  • Se você fica chateada quando seu namorado fica online e não fala contigo, então pare de ver quando ele fica online.
  • Se você fica com raiva porque sua amiga sempre atrasa para sair, então marque encontros com 10, 20, minutos de antecedência. Se pretende sair às 20h, combine com ela para 19:30h.
  • Se você explode quando sua mãe te critica, então já espere esse comportamento dela e traga consciência quando acontecer: “Ah, ela vai criticar isso, então nem vou me estressar”.

 

Ou você controla os seus gatilhos, ou eles controlarão você.

A primeira opção parece mais inteligente, concorda? Então aplique.

Obviamente controlar a raiva é sempre mais fácil na teoria, mas é questão de treino. Uma vez que você começa a tratar a raiva de maneira mais racional, verá, com o tempo, que é capaz de se tornar uma pessoa emocionalmente mais equilibrada.

E, claro, você sempre pode contar com Deus para te ajudar nessa missão de abrandar seu coração.

Se você anda explodindo “sem motivo” aparente, é hora de checar de onde está vindo essa raiva, porque você anda estressado, o que está dando errado na sua vida que está te fazendo descontar nas pessoas.

Peça sabedoria e Deus te ensinará a ser mais tolerante. Rezar sempre acalma. Abra seu coração com Deus.

Fique bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.