Bem estar
Você só tem Valor quando tem algo a Oferecer?

Você só tem Valor quando tem algo a Oferecer?

Já teve aquela sensação de estar sempre sendo usada pelas pessoas? Mesmo aquelas que você gosta?

Uma sensação incômoda de achar que não é boa o suficiente apenas por ser quem você é, mas que precisa sempre ter algo a oferecer para que enxerguem valor em você?

É doloroso quando essa ficha cai, né?

A gente tenta encontrar pretextos e justificativas para remediar, buscando evitar a verdade inevitável: “Você só tem valor quando tem algo a oferecer”.

E essa sensação de ser insuficiente machuca, destrói nossa autoestima, mina nossa autoconfiança, e muitas vezes nos faz desenvolver o péssimo hábito de viver para agradar essas pessoas que, no fundo, não nos dão a mínima!

Se você sente identificação com o que estou escrevendo, sinta-se também acolhida.

Saiba que não tem nada de errado com você. Muito pelo contrário, você deve ser uma pessoa boa e generosa até demais – o que não significa um erro, mas cá para nós, pode ser um problema.

Vamos conversar um pouco sobre isso, e ver algumas formas para deixar de ser usada como fantoche nas mãos das pessoas.

 

Por que Você se Permite ser Usada pelas Pessoas?


 

Existem duas coisas inatas no ser humano:

 

  • O desejo de fazer parte de um grupo, de se sentir acolhido, compreendido, amado… De estar entre iguais.
  • O medo da solidão, de ser excluído, de não ser aceito.

 

Uma coisa leva à outra. E uma vez que isso está no nosso inconsciente, o nosso comportamento apenas reproduz aquilo que armazenamos como medos e desejos. É uma relação de luta ou fuga: Ir atrás do que deseja, e fugir daquilo que causa dor.

Como instinto de sobrevivência isso é ótimo. Foi esse mecanismo que nos permitiu sobreviver em tempos sombrios.

No entanto, há uma distorção.

Há uma busca constante por aprovação, por ser aceito, por estar incluso, que não é necessariamente por sobrevivência, mas talvez por um desajuste emocional: carência, insegurança, falta de autoconfiança e de autoestima, e principalmente: por querer ser bem visto, amado, adorado por todos ao seu redor.

E aqui chegamos a, talvez, o que seja o ponto central dessa discussão: A necessidade de agradar.

Quantas vezes você não quer fazer algo que te pedem, emprestar alguma coisa, ir a algum lugar… Mas você faz mesmo assim, por não conseguir dizer NÃO?

E não é por não conseguir verbalizar essa palavra, é por não querer arcar com as consequências que ela pode trazer: o desagrado de quem te pediu algo.

“E se eu disser não e ela ficar chateada?”. “Ela vai achar que sou uma péssima amiga”.

E então você segue indo contra aquilo que quer, em prol de agradar as outras pessoas.

Faz ideia do quanto está sendo tóxica consigo mesma?

Ao dizer SIM para que os outros se aproveitem de você, está dizendo NÃO para si mesma, para seus desejos e suas necessidades.

O que nos leva ao próximo ponto…

 

Por que essas Pessoas não Enxergam o seu Valor?


 

As pessoas nos tratam da mesma forma como nós nos tratamos.

A partir do momento em que você coloca as necessidades dos outros sempre acima das suas, você está dizendo em alto e bom som que não tem valor; que não é uma pessoa importante; que podem se aproveitar de você.

Ora, se nem você se trata com valor, por que os outros deveriam?

Comece a reparar nessas pessoas que só te enxergam quando você tem algo a oferecer… Você vai perceber que a forma como elas te tratam, é diferente de como elas se permitem serem tratadas. Elas te usam, mas você não consegue usá-las do mesmo modo.

Por quê?

Porque elas não permitem. Porque elas se respeitam. Porque elas sabem o próprio valor. E você? Bom, você apenas reage a isso tratando elas da mesma forma: respeitando, e muitas vezes tendo medo de ofender ou “desgostar”.

Existem pessoas sanguessugas por aí, que estão sempre à espreita para encontrar pessoas boas e ingênuas como você. Gente boazinha exala um perfume característico. É fácil identificar, e mais fácil ainda montar em cima como se fosse um burro de carga.

E nem sempre elas fazem por mal. Há as pessoas cafajestes, mas há também aquelas que só estão aproveitando uma boa oportunidade. Ora, se tem você, sempre boazinha e solícita, sempre disposta a ajudar, que nunca nega nada, por quê não aproveitar?

Acho que já chega, né? É hora de dar um basta e começar a se impor.

Vamos lá!

 

Você-só-tem-Valor-quando-tem-algo-a-Oferecer-terapia-da-palavra-3

 

Como ser Valorizada pelas Pessoas ao seu redor


 

Não há lição de amor-próprio maior do que identificar quando algo não está te fazendo bem, e tomar uma atitude para resolver isso.

Fácil? Não para as pessoas boazinhas. Quem quer ser adorado por todos e evita mal estar, praticamente tem crise de ansiedade só de pensar em desagradar o outro.

Doce ilusão, quando nem Jesus Cristo agradou todo mundo, né!

 

Faça um Detox de pessoas


 

Vamos ser sinceras? Em que essas pessoas que te sugam, realmente acrescentam na sua vida?

Gente que só está por perto quando precisa, ou pode te extorquir; mas que quando o bicho pega, some sem deixar rastros?

É por este tipo de gente que você quer estar cercada?

Amizade não é sobre quantidade, é sobre qualidade. Se essa ficha ainda não caiu para você, precisa trabalhar essa carência emocional. Mais vale ter um amigo de verdade, do que estar cercada de gente e se sentindo sozinha e usada.

Tire da sua vida quem não te acrescenta. E não precisa ser de forma brusca.

Pare de procurar, pare de falar, pare de dar notícias, de convidar para sair, de mandar mensagem, de ligar.

Vá colocando todos no baú do esquecimento, com cada vez menos contato. E não se surpreenda se, ao sumir, ninguém conseguir perceber sua ausência; afinal, eles não se importavam mesmo. Que vão com Deus!

 

Trabalhe sua Autoestima e Autoconfiança


 

Você não precisa de gente vazia fazendo volume na sua vida. Se está buscando que as pessoas preencham o vazio emocional que você carrega, tem algo de muito errado aí.

É hora de aumentar essa autoestima e autoconfiança. Faça novas amizades, interaja com novas pessoas, aproveite sua própria companhia, experimente a solitude.

Dedique tempo a preencher os seus próprios vazios, descobrindo o que te faz bem e te acrescenta.

E na boa? Considere fazer terapia. Apesar do preconceito que muitas pessoas têm, a terapia te ajuda a colocar seus pensamentos e sentimentos em ordem, te fazendo ver que, no fundo, você já tem tudo que precisa.

Autoconfiança também inclui saber colocar limites nas pessoas. Elas precisam saber até onde podem ir com você. Mas para saber impor limites, você precisa antes ter autoconhecimento suficiente para estabelecê-los.

 

Mude sua Postura


 

Tem vergonha de olhar as pessoas nos olhos? De falar firme? De dizer o que pensa, educadamente, quando algo te desagrada?

Anda de cabeça baixa? Se veste como alguém que está se escondendo da sociedade? Fala miando, de forma quase inaudível?

É hora de mudar essa linguagem corporal.

A sua postura diz muito sobre você, e reflete diretamente no modo como as pessoas te tratam.

Se o seu andar, falar, gesticular e até vestir, passam insegurança, é assim que as pessoas vão responder a você.

Considere contratar o serviço de uma personal stylist; aprender a usar roupas que te valorizem, um corte e coloração de cabelos que transmitam confiança…

É incrível como uma mudança no visual já impacta imensamente a forma como você se sente consigo mesma – e isso reflete.

E se a grana tá curta, faça você mesma o trabalho. Estude sobre moda, cores, estilos… Tem muito material gratuito na internet.

Afinal, sejamos francas, olhando para a imagem abaixo, quem te transmite mais autoconfiança e quem parece ser mais propensa a ser usada como burro de carga? Vou deixar você refletindo a respeito…

 

Você-só-tem-Valor-quando-tem-algo-a-Oferecer-terapia-da-palavra-2

 

Começe a dizer NÃO e se priorizar


 

O sim para o outro é um não para você. Precisa ser o inverso.

Te pediram ajuda e você está com a agenda lotada? Sim para as suas atividades, não para as atividades do outro. Isso não é sua responsabilidade, entende?

Se é alguém que merece, e você consegue dar um jeitinho, tudo bem vez ou outra ajudar. Mas aqui estamos falando de quem te explora sem pena. Tenha você piedade de si mesma e pare de ser ingênua.

Normalmente o “não” seco é uma dificuldade absurda para as pessoas boazinhas, especialmente aqui no Brasil onde não estamos acostumados, e dizer apenas “não” soa rude; então experimente alguns complementos:

 

  • Dê um novo norte para a pessoa procurar: “Não posso, estou realmente ocupada esses dias. Mas experimenta falar com Fulano, ele é bom nisso, vai te ajudar”.
  • Dê uma resposta que empurre para o futuro: “Hoje não dá, mas quando eu estiver com tempo livre te aviso e combinamos”.
  • Dê uma resposta que não abra margem para questionar: “Não estou afim. Não tem um motivo, só não quero ir mesmo. Espero que compreenda”.
  • Dê uma resposta que deixe a pessoa constrangida em insistir: “Desculpa, mas não posso te emprestar dinheiro. Só tenho um valor aqui e já está comprometido para pagar minha conta de luz. Sei que você é compreensiva e me entende, né?”.

 

Não tem coisa pior que gente insistente. Por isso, tente não dar justificativas para que a pessoa consiga revidar te convencendo. A típica cena do: “Vamos sair?”, “Ah, tô sem dinheiro”, “Relaxa, eu pago”. Ops, deu ruim. kkk.

 

Liberte-se da Culpa


 

O maior sofrimento para uma pessoa boazinha é a sensação de culpa que fica quando ela finalmente consegue dizer “não”. Parece que fez algo terrível e imperdoável.

Não, você não fez. Essa é só a sua necessidade de ser amada gritando, com medo de causar mal estar.

 

  • Primeiro, essas pessoas são sanguessugas. Nunca esqueça isso.
  • Segundo, essa pessoa é adulta e responsável pelas decisões dela. Com certeza vai encontrar outra otária para explorar.
  • Terceiro, você apenas se priorizou, colocou limites. Não tem nada de errado com isso.
  • Quarto, se fosse o contrário ela não pensaria duas vezes antes de te virar as costas sem consideração alguma.
  • Quinto, quando você precisa, ninguém te ajuda de volta.

 

Repasse esses pontos quando a culpa vier, e depois ligue o “dane-se” e vá ocupar sua mente com outra coisa. No começo vai doer, isso vai ficar remoendo na sua cabeça, mas não ceda. Aguente firme. Conforme for pegando o jeito de se valorizar e colocar limites, o “não” vai se tornando mais fácil.

E sabe qual é a consequência? Algumas pessoas vão finalmente te respeitar, e outras vão se afastar, dizendo que você mudou e está diferente. Não sofra, elas apenas estão com raiva por terem perdido a trouxa de estimação (no caso, você).

Gente que não te respeita, você tem mais é que agradecer quando some.

Pense nisso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.